Ir para o conteúdo

VOCÊ TEM
MAIS
DE 18 ANOS?

ESTE CONTEÚDO
É INDICADO SOMENTE
PARA ADULTOS,
MAIORES DE 18 ANOS

Philip Morris Brasil


Fernando

Este redator de São João da Boa Vista toca baixo e guitarra em uma banda de punk rock, coleciona discos e sempre foi engajado em movimentos sociais.

Fernando

Este redator de São João da Boa Vista gosta de shows underground, principalmente de punk rock, coleciona discos e sempre foi engajado em movimentos sociais.

“Sou fumante e sei que isso não faz bem. Mas gostaria que as pessoas me avaliassem pelas outras coisas que faço, não porque uma vez ou outra eu acendo um cigarro.

Por exemplo, desde pequeno eu gosto do contato com a natureza e acabei entrando para um movimento de jovens, onde aprendi a importância de se construir um mundo melhor, mais justo e mais fraterno.

O contato com a natureza e a vontade de ajudar o próximo nunca deixaram de fazer parte de quem eu sou. Sempre participei de ações voluntárias para a arrecadação de alimentos, campanhas do agasalho, plantio de árvores e limpeza de cachoeiras.

Como eu disse, muitas vezes nada disso parece suficiente. Basta estar com um cigarro que as pessoas me excluem e me julgam, às vezes atrapalhando até meus relacionamentos.

Sabe o que eu acho mais engraçado? As pessoas acham ruim que eu fumo, mas acham que está tudo bem se eu comprar um produto sem procedência e sem garantia que vai me fazer menos mal que o cigarro. Não pode fumar, mas pode comprar produto ilegal? Qual a lógica? Eu quero é ter acesso a outras opções, para poder escolher o que é melhor para mim.”

Voltar
Compartilhe essa história Email Linkedin Facebook twitter

POR QUE OS FUMANTES
PRECISAM SER OUVIDOS?

Em programas de televisão, no rádio, nos jornais, na internet, nas redes sociais, em Brasília, entre rodas de familiares, estudiosos e ativistas: todo mundo tem uma opinião sobre o cigarro e sobre os novos dispositivos eletrônicos para fumar. Mas, pela primeira vez, alguém está perguntando aos adultos que continuam fumando qual a opinião deles sobre a falta de acesso no Brasil a algumas das alternativas existentes em outros países. Conheça algumas dessas pessoas.